Qual é o homem que ama a vida e deseja ver dias felizes?
E se tu, ouvindo-o, responderes: “Eu”, diz-te Deus…

Regra São Bento, Prólogo v. 15-16

VERÃO VOCACIONAL 2022 

  Convite às jovens

Se quiser passar uns dias de férias para pensar na sua vocação, neste verão 2022 disponibilizamos uns quartos da nossa hospedaria para a acolher, a fim de partilhar o dia a dia connosco (vida comum, trabalho, liturgia) e a procura de Deus que nos anima.

A NOSSA PROPOSTA:

QUANDO?

Dentro dos seguintes períodos pode escolher os dias e o tempo que desejar*.

                1 – 16 de julho (por exemplo: de 3 a 6 de julho)

                 8 – 14 de agosto (por exemplo: de 10 a 13 de agosto…)

                 25 – 30 de setembro (por exemplo: de 25 a 29 de setembro…)

                1 – 8 de outubro (por exemplo: de 2 a 5 de outubro…)

*ESTAMOS DISPONÍVEIS PARA A RECEBER NOUTRA DATA, SE NÃO TIVER POSSIBILIDADE NESTAS

ONDE? 

Na nossa hospedaria

PARA QUÊ?

Partilhar os gestos marcantes da vida monástica, encontrar algumas irmãs, ter tempo para pensar na sua vocação, rezar e estar consigo própria.

Entre em contacto connosco!

Ligue para (+351) 910909588 ou escreva ao endereço email
chamamento@trapistaspalacoulo.pt

São Bento mostra-nos que a vocação, antes mesmo da nossa resposta, é perceber que Deus deseja a nossa felicidade.

Essa pergunta desperta em nós uma consciência secreta: Ele é a verdadeira felicidade.

Daí o convite que suscita a resposta a um caminho de especial amizade com Jesus: Bem-aventurado – feliz – quem reconhece o olhar amoroso de Deus sobre si mesmo!

Felizes os que acreditam na verdade, na relevância desta promessa de amor!

Porque o coração se alegra ao descobrir que é feito para grandes coisas e responde iniciando um caminho de conhecimento de Jesus e de envolvimento com a proposta de vida na qual Jesus se fez presente a ele.

Jesus chama para grandes coisas e dá-nos tudo de si, sem cálculos. Por isso pede-nos um grande e exigente dom: Jesus pede-nos o dom da vida.

Reconhecer que a voz que nos chama é a de Deus é uma jornada. São Bento no início do caminho convida-nos a escutar a Sua Palavra no silêncio, na oração, permitindo-nos ser ajudados a compreendê-la por aqueles que nos precedem neste caminho.

O chamamento para a vida monástica beneditino-cisterciense

A vocação monástica beneditina – cisterciense e trapista – floresce na dedicação da vida à procura de Deus nas coisas mais simples e quotidianas.

A nossa vida é uma vida que se passa em alternância entre oração, trabalho, vida fraterna vivida para a glória de Deus. A nossa lei é o Evangelho, o nosso propósito é a construção do Seu reino entre nós. Foi Deus quem nos reuniu para ser uma comunidade, uma imagem da Sua Igreja.

Escolhemos viver a fraternidade no silêncio, com momentos de diálogo e partilha autênticos, servindo-nos reciprocamente sem possuir nada pessoal, procurando a unidade fundada sobre a caridade, o perdão, do fruto da redenção, do carregar os fardos umas das outras.

Vivemos a nossa oferta no serviço de louvor, intercessão e confissão de Sua glória.

Uma proposta de vida

A nossa proposta vocacional é simples. Dirige-se tanto a quem deseja verificar um chamamento à vida monástica como a quem deseja conhecer a vontade de Deus para a sua própria vida.

Acreditamos que todo caminho de procura e de fé é sempre positivo, porque oferece uma experiência de liberdade e alegria a quem o empreende com o desejo de compreender e responder ao bom desígnio que Deus tem para cada um.

Se desejas conhecer-nos e iniciar uma jornada de amizade e confronto, podes escrever para: chamamento@trapistaspalacoulo.pt

Podes vir conhecer-nos pessoalmente e compartilhar alguns dias connosco.

Para esse efeito temos à disposição para o efeito alguns quartos da hospedaria (ver hospitalidade). Ficamos a tua espera!

Para entrar em contacto connosco, ligue para (+351 910909588)
ou escreva ao endereço email chamamento@trapistaspalacoulo.pt

No final desta breve apresentação, apresentamos alguns textos que foram fundamentais para nós no caminho da nossa vocação, tanto porque foram como a voz de Deus que despertou em nós o desejo de felicidade, como porque nutriram e deram voz ao amor que sentimos vivo dentro de nós.

Palavras do Papa São João Paulo II aos jovens:

É Jesus quem buscais quando sonhais a felicidade; é Ele quem vos espera quando nada do que encontrais vos satisfaz; Ele é a beleza que tanto vos atrai; é Ele quem vos provoca com aquela sede de radicalidade que não vos deixa ceder a compromissos; é Ele quem vos impele a depor as máscaras que tornam a vida falsa; é Ele quem vos lê no coração as decisões mais verdadeiras que outros quereriam sufocar. É Jesus quem suscita em vós o desejo de fazer da vossa vida algo de grande, a vontade de seguir um ideal, a recusa de vos deixardes submergir pela mediocridade, a coragem de vos empenhardes, com humildade e perseverança, no aperfeiçoamento de vós próprios e da sociedade, tornando-a mais humana e fraterna.

Não tenhais medo de vos entregar a Ele: guiar-vos-á e dar-vos-á força para o seguirdes cada dia e em todas as situações.

Orações cistercienses

Oferecemos-lhe algumas orações com as quais os nossos pais, que pretendiam trazer a vida beneditina de volta à simplicidade das suas origens, se voltaram para Cristo e que nos falam sempre pela sua beleza.

Se Jesus está vivo,
isso é o suficiente para mim!
Se ele vive, eu vivo,
Pois a minha vida
depende dele.
Ele é a minha vida,
é o meu tudo.
O que me
Poderia faltar,
se Jesus está vivo?
Melhor ainda:
Que tudo o resto
me falte,
não me importa,
Desde que Jesus esteja vivo!

Eu também Senhor Jesus,
Eu também me orgulharei de boa vontade,
se puder, da minha fraqueza
para que a Tua virtude,
Ou seja humildade,
se torne em mim perfeita.

A Tua graça é suficiente para mim,
A minha força diminui.

Pondo à frente
o pé da graça
e gradualmente retirando
o meu que é fraco,
Subirei com segurança a escada da humildade,
até que,
aderindo estritamente à verdade,
possa passar nos amplos espaços de caridade.

S. Bernardo di Chiaravalle

Jesus é mel para a boca, melodia para os ouvidos, júbilo para o coração.

Resumindo, esse nome é um remedio. Algum de nós está triste?

O nome de Jesus entra no teu coração e daí sobe à teus lábios. Assim que brilha, as nuvens dissipam-se, o sereno retorna. Alguém cometeu uma falta grave e em desespero corre para a morte? Basta-lhe invocar o nome da vida e redescobrirá o prazer de viver.

Perante este nome salvador, ninguém poderá manter a dureza habitual do coração, a apatia entorpecida, o rancor amargo ou o tédio que degrada mortalmente. Se a fonte das lágrimas secou, ​​bastará invocar Jesus, para que imediatamente volte a jorrar mais doce e abundantemente. Quem no perigo entra é tomado pelo pânico, se invocar este nome poderoso, afasta o medo, recupera a confiança. Quem, abalado pela dúvida, não verá brilhar levemente a certeza ao invocar esse nome de luz? Ninguém há que na hora do infortúnio, quando está para cair, não encontre coragem para ouvir o nome que é socorro.

Essas são as doenças da alma e este é o remédio.

Quando digo “Jesus”, vejo diante de mim um homem manso e humilde de coração, cheio de bondade, sóbrio, casto, misericordioso, exaltado na justiça e na santidade. Ao mesmo tempo, encontro-me na presença do Deus Todo-Poderoso, que me cura pelo exemplo e me fortalece com a ajuda.

Tudo isto canta dentro de mim, assim que o nome de Jesus ressoa-nos em meus ouvidos: como homem, ele oferece-me um estilo de vida, como Deus sustenta-me. Os exemplos são essências preciosas, a ajuda divina aumenta o seu valor. Desse modo, confecciono um medicamento que nenhum médico jamais será capaz de me oferecer.

Bernardo di Chiaravalle

Se Jesus está vivo,
isso é o suficiente para mim!

Se ele vive, eu vivo,
Pois a minha vida
depende dele.

Ele é a minha vida,
é o meu tudo.

O que me
Poderia faltar,
se Jesus está vivo?

Melhor ainda:
Que tudo o resto
me falte,
não me importa,

Desde que Jesus esteja vivo!

Guerrico d’Igny

Tu que percebes como nesta passagem do tempo somos mais como náufragos derrotados entre tempestades e mares do que como gente caminhando em terra firme Não tires os olhos desta estrela, se não queres ser varrido por tempestades

Se os ventos da tentação surgirem, serás empurrado para as rochas das tribulações. Olhe para a estrela, invoca Maria.

Se você é derrotado pelas ondas do orgulho, E da ambição, da depreciação, da rivalidade amarga Olhe para a estrela, invoque Maria.

Se a raiva, a ganância ou o desejo desordenado despedaçou o navio da sua mente, olhe para a estrela, invoca Maria.

Se perturbado pela grandeza de teus pecados confundido pela consciência de teu grande erro aterrorizado pelo terror do julgamento divino começarás a ser tragado no abismo da tristeza e no abismo do desespero, pensa em Maria.

Nos perigos, na angústia, nas coisas duvidosas, pensa em Maria, invoque Maria.

Seguindo-a, não errarás no caminho.

Rezando-lhe, não ficarás desesperado
Pensando nela, não te enganas
Se ela te segurar, não cairás
Se ela te proteger, não terás medo
Se ela te orientar, não te cansarás
Se ela te for propícia alcançarás a meta.

S. Bernardo